Review: Senran Kagura: Estival Versus

Ano passado, um dos meus jogos favoritos no PS Vita foi Senran Kagura: Shinovi Versus. Ele é um spinoff de Senran Kagura (que foi lançado no 3DS), e leva as batalhas para arenas 3D ao invés das plataformas 2D da versão principal.

Senran Kagura: Estival Versus é a continuação desse spinoff, voltando mais uma vez para o Vita e chegando também ao Playstation 4.

Se te perguntarem um dia porque você prefere 2D à 3D, sugiro apenas linkar a abertura desse jogo. Qualquer um entenderia perfeitamente.

Senran Kagura: Estival Versus (PlayStation 4, PlayStation Vita [testado])
Desenvolvedora: Tamsoft
Publisher: Marvelous
Lançamento: 26/03/2015
Preço: ¥6980 (Vita), ¥7980 (PS4)

Apesar de ter jogado a versão japonesa sem saber nada do idioma, fica claro que Estival Versus começa logo após os eventos de Shinovi Versus: antes da abertura nos é dado uma rápida introdução da história a seguir, revelando a nova facção e os personagens por trás de mais uma reunião das garotas shinobi.

Onde em Shinovi Versus a história se dividia entre as quatro diferentes escolas/facções (Hanzo, Gessen, Hebijo e o Homura Crimson Squad) com seu arco individual, Estival parte para uma história unificada envolvendo todas as facções presentes. Essa história gira em volta do Kagura Millennium Festival, um evento misterioso que muda o conceito de vida e morte das garotas, colocando-as contra seus entes queridos que perderam suas vidas no meio do violento mundo dos shinobis. Lideradas por Sayuri, a nova facção organiza o festival e promete às garotas o direito de finalmente dar a seus entes queridos o descanso eterno.

A nova facção consiste das seguinte cinco garotas:

  • Sayuri (avó de Asuka, esposa de Hanzo e a única ninja que esse teme)
  • Hyoki (irmã mais velha de Ryobi e Ryona, havia morrido antes dos eventos de SV)
  • Kafuru, Renka e Hanabi (as irmãs Mikagura, que ajudam Sayuri a reviver Hyoki)

Também voltam as missões individuais de cada personagem, as Shinobi Girl’s Heart. Apesar de também ambientadas no local da história principal, somente algumas delas possui relação com o enredo do jogo. Assim como em Shinovi Versus, elas estão lá mais pelo fanservice e para que o jogador conheça mais sobre as personagens. Uma mudança é que agora elas são desbloqueadas à medida que você avança no modo história do jogo, ao invés de estarem todas liberadas desde o começo.

Estival Versus traz poucas novidades no quesito combate, visto que ele já possuia um combate bastante sólido desde Shinovi Versus. Ainda estão presente os três modos de luta:

  • Modo normal: Sem transformação, impossível de usar os golpes especiais.
  • Modo Shinobi: Personagem se transforma e pode usar seus golpes especiais, mas sem diferenças de poder para o modo normal.
  • Modo Frantic: Personagem se despe de todas as roupas e pode usar seus golpes especiais. Em troca de maior velocidade/força, a defesa nesse modo é reduzida e um combo simples pode ser o game over. É o único modo que dá para encaixar infinitos também.

Cada personagem sobe de nível individualmente em cada um dos três modos, e subir de nivel é o único jeito de liberar novas variações/golpes para incrementar os combos. Combos melhores permitem atordoar inimigos mais facilmente e lançá-los rumo ao ar para uma aerial rave com um combo não tão longo. Subir de nível também aumenta quantidade de vezes que você pode usar especiais e a maioria dos atributos do personagem.

Das novidades, temos agora um maior nível de interação com o cenário. Podemos andar/subir pelas paredes e utilizar a diferença de altura para iniciar/emendar combos, usar itens que causam dano ou aplicam efeitos aos inimigos (congelamento, envenenamento) que caem ao destruirmos objetos do mapa ou destruirmos inimigos, além de até mesmo usar os objetos interativos do mapa como armas. Essa última novidade está relacionada com os novos finishers presentes nesse jogo:

Derrote qualquer uma das personagens próximo à um dos objetos interativos e o finisher vai ser algo relacionado a eles. Playlist com todos aqui.

A AI parece ser a mesma, o que não significa que ela é ruim. As primeiras missões no fácil/casual podem ser fáceis demais, mas a dificuldade progride para um nível satisfatório à medida que você se afasta dos tutoriais. No modo mais difícil, as missões próximas do final são basicamente impossíveis a não ser que seu personagem esteja em nível alto e que o jogador cuide para não ser interrompido ao tentar usar qualquer especial.

O combate não dá sensação de ser repetitivo devido à quantidade de cenários diferentes, o objetivo de cada mapa ser diferente e também à enorme quantidade personagens disponíveis: 25 (5 em cada facção), fora os 2 personagens novos adicionados em um patch e também os novos 5 de colaborações diferentes (Ikkitousen/Dead or Alive).

Customização ainda é um ponto forte e Estival Versus também traz melhorias nesse ponto. A Dressing Room ainda está lá, e além de poder ser usada para customizar a aparência de cada personagem, pode também ser utilizada para você mesmo criar suas cenas nos cenários do jogo.

Eu sou um desastre nela, como podem ver.

Fui com a versão do PS Vita dessa vez, mas a versão PS4 do jogo é a versão definitiva de Estival Versus. Os melhores gráficos exigem mais do portátil que em Shinovi Versus e daí precisaram reduzir de 60 FPS para 30 nessa versão. Vita também possui menos inimigos na tela do que a versão PS4 e só permite 3 personagens em qualquer cena da Dressing Room. O jogo ainda roda maravilhosamente bem e em momento algum chega a dar slowdown, mas dá para ver que não é tão fluído quanto o primeiro jogo.

Não houve tanto reaproveitamento de recursos de um jogo para outro. Partes de alguns cenários são copiados do primeiro jogo (mapas da cidade, escola e montanhas), mas no geral o jogo é todo novo exceto pelos personagens.

O jogo possui modos de multiplayer local (ao menos no Vita) e via Internet, mas ele é bloqueado fora do Japão devido à presença de um onlie pass. Versão japonesa de Shinovi Versus também possuía, mas foi removido no lançamento americano.

CONCLUSÃO

Estival Versus é um recomendação fácil tanto para quem gostou de Shinovi Versus quanto para novatos da série. Se voce não sabe japonês, só recomendo a versão japonesa caso seja um fã inveterado da série, caso contrário compensa aguardar o release americano que já está chegando.

Apesar de ser um excelente jogo de ação, sei que o fanservice nesse jogo pode afastar algumas pessoas dele. Caso você veja problemas com peitos sendo mostrados na tela basicamente a cada 2 minutos, nas palavras do próprio produtor, Kenichiro Takaki, esse jogo não é para você.

Deixe uma resposta